MANDALAS


Um Post sobre Mandalas!



Atualmente, existe um modismo do conceito de mandala, 
 principalmente depois do estouro de livros da maravilhosa ilustradora Johanna Basford, 
com seus desenhos e mandalas para colorir.
Que uns tanto abominam e outros amam.
Mas fato é que isso gerou uma curiosidade, um certo interesse maior pelo assunto.
Sigo com algumas explicações, teorias, capturadas não só da internet, 
mas também em teorias de Carl Gustav Jung, 
que foi um grande apreciador e estudioso no âmbito da psique com as mandalas.
"O Homem e Seus Símbolos" é um bom livro de orientação a respeito de símbolos e mandalas, para quem se interessa pelo assunto.

Mandalas, significa círculo, em sânscrito; e antes de mais nada, 
são aglomeradores de energia 
para a integração do homem consigo mesmo. 
Possui também outros significados, 
como círculo mágico ou concentração de energia
e universalmente a mandala é o símbolo da integração e da harmonia.

Segundo Carl Jung, antes mesmo do conceito de mandala, 
o círculo, ou esfera, é um símbolo representativo do Self: 
expressa a totalidade da psique em todos os seus aspectos, 
incluindo o relacionamento entre o homem e a natureza.
Indica sempre o mais importante aspecto da vida: 
sua extrema e integral totalização.

Em várias épocas e culturas, 
a mandala foi usada como expressão científica, artística e religiosa. 
Podemos ver mandalas na arte rupestre, no símbolo chinês do Yin e Yang, 
nos yantras indianos, nas mandalas e thankas tibetanas, 
nas rosáceas da Catedral de Chartres, 
nas danças circulares, nos rituais de cura e arte indígenas, na alquimia, 
na magia, nos escritos herméticos e na arte sacra dos séculos XVI, XVII e XVIII.

A forma mandálica pode ser encontrada em todo início, na Terra e no Cosmo: 
a célula, o embrião, as sementes, o caule das árvores, as flores, os cristais, as conchas, 
as estrelas, os planetas, o Sol, a Lua, as nebulosas, as galáxias.


No lamaísmo, particularmente no dos tibetanos, 
mandalas ricamente ornamentadas representam um importante papel: 
o cosmos na sua relação com os poderes divinos.

De acordo com C.Jung, se o inconsciente coletivo traz imagens à tona, 
arquétipos (no caso as mandalas) que geram uma busca à volta do que está esquecido, que é a própria essência da humanidade, do ser humano;
então de fato precisamos estar atentos aos nossos próprios sinais.

Como diria minha falecida avó: 
- "Resumo da Ópera!" = Vamos colorir e integrar lindas mandalas!
Que além de tudo podem virar lindas ilustrações, peças decorativas e estampas!
:)
Genial esse negócio! 

Mandala "Patience" - Aquarela


         Mandala "Delicadeza" - Aquarela


Mandala "Optcha" - Aquarela


Para acompanhar outros trabalhos, acesse:
Instagram, Twitter e Facebook:
@annamunizatelie !









Nenhum comentário: